Menos do verbo "querer"


Eu quero mais. Quero mais vírgulas do que pontos. Quero mais repetições. Quero mais janelas para olhar. Quero mais família na cozinha. Quero mais sonhos, mais estrelas, mais céu, mais sol, mais grama, chuva, ar, terra, mais meu quarto, mais bala de canela, mais, mais, mais. Quem não quer?

Mais Dó no violão, mais maçãs nos rostos, mais paisagens, mais beijos com amor, abraços de amor, ser mais amor. Quem não quer?

Quero também aqueles adesivos "Deus é +", sabe? Quero mais guardanapos de restaurantes com detalhes anotados. Quero a poesia dos detalhes. Quero mais começos. Quero cinco horas da tarde. Quero mais lágrimas de esperança. Quero mais clichê. Quem não quer ?

Quero mais dúvida e resposta. Quero viver mais amanhã. Mais de mim, eu quero também.


Mas é inevitável. Eu quero menos de tudo isso por mais de Deus. É porque o que Ele quer é melhor.


Romanos 12:2 E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

5 comentários:

NICODEMOS disse...

Paz seja contigo
De fato mais virgulas que pontos nospermitem continuar. de modo a que Cristo cresça e nós venhamos a diminuir sempre. Escreves muito bem.

Permaneça na Graça e frutifique nela

Sejam bem vindos em meu blog e que possam ser edificado na Palavra

atalaiadocastelo.blogspot.com

Nicodemos

Charles Cole disse...

"Quero mais clichê. Quem não quer ?"

Sabe o que mais me encanta nos seus textos? Você escreve com o tipo de poesia casual que eu nunca consegui e provavelmente nunca vou conseguir reproduzir. A beleza das palavras surge quase do nada, do cotidiano, do comum, do ordinário (tudo no melhor sentido). Você mostra que o que é corriqueiro também é extraordinário ao olhar de Deus. E, se é no dele, porque não pode ser no nosso?

Seus textos, infalivelmente, me inspiram! :D

Beijos Babi! :D

Caio Coletti disse...

"Quero mais clichê. Quem não quer ?"

Sabe o que mais me encanta nos seus textos? Você escreve com o tipo de poesia casual que eu nunca consegui e provavelmente nunca vou conseguir reproduzir. A beleza das palavras surge quase do nada, do cotidiano, do comum, do ordinário (tudo no melhor sentido). Você mostra que o que é corriqueiro também é extraordinário ao olhar de Deus. E, se é no dele, porque não pode ser no nosso?

Seus textos, infalivelmente, me inspiram! :D

Beijos Babi! :D

P.S.: Foi mal pelo comentário anterior, é que eu tenho duas contas do google, nem vi que estava na errada. ashuash Se quiser apagar fica a vontade. :D

Adrieli disse...

Mais de Deus, porque Deus é mais. Amei Babi *-*

il.reiz disse...

retribuindo a visita que vc fez no meu blog (highwayofbits.blogspot.com).

adorei seu texto.

@murilonobre

obg pelas palavras escritas lá. foram muito importantes pra mim.

 
Copyright © Babi Leão